Current track
TITLE
ARTIST

Background

Análise – Headset SteelSeries Arctis 3

Escrito por em 20 de dezembro de 2017

Fundada em 2001, a companhia é reconhecida internacionalmente por seu padrão de qualidade e inovações!

Você que é um gamer antenado no mercado de periféricos possivelmente já conhece a SteelSeries de longa data. A companhia dinamarquesa fundada em 2001 é reconhecida internacionalmente por seu padrão de qualidade e inovações no segmento de produtos focados na jogatina pesada.
A marca bastante elogiada em outros países já teve uma passagem pelo Brasil, quando apresentou alguns produtos robustos (alguns que nós até chegamos a fazer review), mas teve o azar de não encontrar seu público-alvo. Agora, a fabricante retorna ao nosso país decidida a mostrar seu novo portfolio e oferecer mais opções de qualidade aos jogadores.
Uma das grandes promessas da SteelSeries se dá no segmento de áudio, o qual ela tem expertise de longa data — muitos gamers talvez até já experimentaram os modelos Siberia, que fez muito sucesso no passado por aqui, porém, além da qualidade sonora, a marca tem uma nova carta na manga neste concorrido setor: um design espetacular.
Num primeiro momento, a companhia traz ao Brasil os modelos Arctis 3 e Arctis 5, que são muito similares na aparência, mas que se diferenciam nos detalhes. Hoje, vamos falar do modelo “mais básico”, o qual promete um som de qualidade nos games por um preço mais camarada. Será que ele é o headset ideal para você? Vamos conferir!

Especificações

Design e conforto são prioridades

 

O mercado de periféricos gamers é competitivo, sendo que muitas marcas disputam as vendas com modelos cada vez mais potentes e chamativos. Ocorre, no entanto, que os dispositivos estão cada vez maiores e, consquentemente, mais pesados. Na contramão, a SteelSeries aposta em mudanças substanciais no visual e na qualidade de construção.
A série Arctis prioriza questões como elegância e leveza, o que pode ser interessante para quem busca mais do que apenas potência sonora. Sem deixar essa questão de lado, a fabricante desenvolveu produtos muito confortáveis, que se encaixam perfeitamente na cabeça e propiciam boa experiência em partidas de longa duração.
O SteelSeries Arctis 3 é um headset que se adapta ao jogador, graças à banda elástica na parte superior. Esta peça garante posicionamento confortável, de modo que o produto não balança na cabeça e não incomoda ao evitar o contato com a tiara. Ela ainda tem ajustes com velcro, sendo então um dispositivo adaptável para grande maioria dos consumidores.
As conchas de tamanho reduzido são ideais para gamers que preferem um design mais compacto. Além disso, o projeto da SteelSeries possibilita a rotação dessas peças no eixo horizontal, o que facilita bastante na regulagem e também na hora de repousar o headset sobre os ombros.
As almofadas auriculares com tecnologia AirWeave jogam a favor do produto, uma vez que elas são macias e evitam pressão excessiva nas orelhas — uma reclamação recorrentes dos gamers com relação a diversos dispositivos. Assim, os alto-falantes fica bem próximos ao ouvido, porém não machucam e devem entregar um som com volume satisfatório.
Todas essas características são importantíssimas e diferenciam o modelo da SteelSeries dos principais concorrentes, contudo a marca ainda teve boas ideias na instalação dos conectores e botões. Instalados abaixo da concha esquerda, o ajuste de volume e os cabos ficam posicionados em local de fácil acesso. O microfone bidirecional é do tipo retrátil, de modo que você pode escondê-lo quando não for utilizá-lo.
No todo, o design do Arctis 3 impressiona pelo cuidado excessivo que a marca teve no projeto. Disponível nas cores preta ou branca, este headset se destaca pelos detalhes, como vários elementos já citados etambém o logotipo elegante nas laterais. Certamente, um modelo voltado para você deixar os amigos na inveja.

Compatibilidade e qualidade de som

 

Pensado para o grande público, os headsets da família Arctis são projetados para entregar compatibilidade com os principais aparelhos. Apesar de vir com uma conexão USB como primária (diretamente no headset), este modelo também utiliza, na outra ponta, uma conexão de áudio de 3,5 mm (a famosa p2).
Na prática, essa conexão é perfeita, já que é possível usar o headset no computador e em outros dispositivos. É importante notar que a SteelSeries já envia na caixa dois cabos: um com pinos de fone e microfone separados (para PC) e outro que reúne os sinais de som num único pino (permitindo usar o headset nos video games e celulares).
Apesar da compatibilidade, é importante ressaltar que o áudio não necessariamente apresenta a mesma equalização em todos os produtos. Por se tratar de um dispositivo que usa a conexão comum, ele não recebe energia no PC, tampouco tem equalização pré-definida de fábrica. Nos computadores, o áudio tem graves, médios e agudos equilibrados, mas o som parece menos expressivo nos celulares.
Equipado com alto-falantes de alta qualidade, o SteelSeries Arctis 3 deve entregar um som agradável aos ouvintes mais exigentes. Os drivers de 40 milímetros certamente não são os maiores ou mais potentes da categoria, porém fazem um trabalho competente, já que entregam volume na medida e um som equilibrado no geral.
Após efetuar ajustes com o equalizador da SteelSeries (comentamos abaixo sobre este processo), o headset Arctis 3 se mostrou muito competente ao entregar um som muito balanceado. Seja para músicas, jogos ou filmes, os alto-falantes apresentam baixa distorção (só perceptível no volume máximo e em raros casos) e respondem bem em todas as frequências.

Microfone impressionante

 claro que o microfone é um componente importante num headset, sendo inclusive um tropeço de muitas marcas. A SteelSeries, no entanto, se mostra muito preocupada em oferecer um dispositivo de qualidade para incrementar significativamente a interação nos jogos.
O microfone bidirecional do Arctis 3 consegue captar o áudio do jogador com muita qualidade, eliminando quase que totalmente todo o ruído do ambiente. A característica retrátil deste item também merece destaque, uma vez que isso facilita muito no uso e ainda deixa o produto mais elegante.

Software prejudica a experiência

 

A SteelSeries caprichou bastante no projeto da série Arctis e fez um ótimo trabalho em questão de design e qualidade sonora, mas, durante nossos testes, parte do processo de utilização foi comprometido pelo programa Engine, que se mostrou um bocado complexo na configuração inicial.
Efetuamos testes em duas máquinas distintas com placas de som diferentes e tivemos muitas dificuldades para conseguir usar o equalizador da própria SteelSeries. O processo já se mostra incomum por requisitar registro do produto e login no programa, já que o aplicativo não tem outra forma de identificar que há um Arctis 3 conectado ao PC (visto que ele usa conexão de áudio comum).
Depois de efetuar o cadastro e entrar com a conta no programa, as regulagens nem sempre funcionam na primeira tentativa, uma vez que é preciso desinstalar outros softwares de som e desativar os efeitos de áudio do Windows. Tudo isso acabou prejudicando nossa experiência com o produto, uma vez que gostaríamos de apenas conectar o headset ao computador e já ter uma surpresa no primeiro uso.
Após alguns inconvenientes, nós entramos em contato com a SteelSeries e relatamos todos os tropeços ao longo do processo. A marca relatou que são raros os casos em que isso acontece, mas se mostrou prestativa e enviou várias dicas para resolver o ocorrido. Após seguir as dicas, nós conseguimos equalizar o Arctis 3, que se mostrou muito preparado para graves reforçados.
O sistema de 7.1 canais do SteelSeries Engine não é algo que nos impressionou, uma vez que este é um headset estéreo que usa conexão comum de áudio. Dessa forma, os efeitos aplicados no fone dão mais a impressão de reverberação do que uma ambientação espacial precisa. É claro que isso depende muito do jogo e do conteúdo, mas não é seguro apostar nesse modelo se você quer uma experiência incrível de múltiplos canais.

Vale a pena?

 

No fim das contas, o SteelSeries Arctis 3 é um headset que impressiona em muitos sentidos. Gostamos muito das ideias da fabricante em questão de design, já que esse é um grande diferencial, afinal de contas, já passou da hora de termos mais conforto e produtos elegantes para jogos. Nesse ponto, inegavelmente, a marca está na frente da maioria das concorrentes.
Graças aos materiais de boa qualidade e à leveza, o Arctis 3 também se destaca como um produto ideal para uso prolongado. Ele não causa qualquer desconforto para quem pretende jogar por várias horas seguidas e também é um ótimo produto para usar no PlayStation 4 ou no Xbox One.
Na parte sonora, o SteelSeries Arctis 3 também deve agradar aos consumidores mais exigentes, já que seus alto-falantes de boa qualidade entregam um som bem equilibrado. Sim, é importante notar que a experiência completa só está disponível após os devidos ajustes no programa da marca (que foi um ponto negativo em nossa análise), mas depois de regular o som, você vai ter uma boa jogatina.
Apesar de se destacar em inúmeros quesitos, este headset pode sofrer em termos de popularidade devido ao seu posicionamento no mercado. Sendo o componente mais básico da série, ele chega com um preço bem elevado, na casa dos 430 até os 500 reais, dependendo da forma de pagamento e da loja.
A marca obviamente cobra este valor devido ao seu projeto de design e aos materiais de melhor qualidade, mas ele tem fortes concorrentes que chegam com preços mais camaradas e a tecnologia USB, como é o caso do Corsair VOID, que custa 80 reais a menos.
Assim, podemos concluir que o Arctis 3 é um ótimo headset, mas a SteelSeries joga com as cartas da versatilidade e do conforto, que devem atrair somente os gamers mais endinheirados. Gostamos do produto e recomendamos para quem faz questão de usar os pinos comuns de áudio, mas se você ficou apaixonado pelo design, talvez o Arctis 5 seja uma aposta mais interessante.

Por: TecMundo 


Opinião dos Leitores

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos Obrigatórios estão marcados*