Current track
TITLE
ARTIST

Background

Bitcoin! Dez anos do whitepaper!

Escrito por em 31 de outubro de 2018

Resultado de imagem para bitcoin

 

LIBERTAS – AEQUITAS- VERITAS – Há exatos 10 anos em 31/10/2008 às 18:10:00, o anônimo participante em um grupo de emails “The Cryptography Mailling List”, com o usuário denominado Satoshi Nakamoto publicou uma mensagem com o assunto: “Bitcoin P2P e-cash paper” onde ele informava que vinha trabalhando em novo “ sistema de dinheiro eletrônico totalmente P2P, sem a necessidade de confiar em terceiros”.

No e-mail  ele adicionou o ainda ativo, link http://bitcoin.org/bitcoin.pdf

Em sua publicação inicial Satoshi Nakamoto já descreveu as principais propriedades:

  • Gastos duplos são provados (verificados) com a rede P2P.
  • Não depende ou outras partes (terceiros) confiáveis.
  • Os participantes são anônimos.
  • Novas moedas são feitas por meio de Hashcash (entrelaçamento) em forma de prova de trabalho.
  • A prova de trabalho para a geração de novas moedas também previne por meio de força da rede o gasto duplo (double-spending)

Vale falar desse que foi um dos primeiros movimentos do Bitcoin uma vez que no whitepaper em apenas 9 páginas é descrita toda a sua teoria e funcionalidade, mas vale lembrar isso não é nada, por mais que seja algo extremamente inovador. Isaac Newton falou:

“ Se vi mais longe, foi por estar sobre os ombros de gigantes” assim como Isaac Newton “esteve nos ombros” de Bernardo de Chartres.

Os “gigantes” do provável pseudônimo Satoshi Nakamoto foram pessoas como (aquele que é considerado a pessoa por trás do pseudônimo) David Chaum do DigiCash, Adam Back do HashCash, Wei Dai do B-Money, Nick Szabo do Bitgold e Hal Finney, todos lançaram sistemas e empresas que viriam a contribuir para o trabalho de Nakamoto que foi totalmente baseados nos conceitos desses “gigantes”. O próprio Satoshi Nakamoto antes de seus “desaparecimento” dos fóruns falou que seu trabalho era basicamente a união do B-Money e do  DigiCash.

Devemos lembrar que Hal Finney foi praticamente e um dos únicos que foi favorável ao Bitcoin, inclusive a primeira pessoa a receber uma transação de Bitcoin, muitos dos que estavam na lista de e-mail e muitos dos que participaram dos fóruns não tinham o mesmo entusiasmo.

Nascia então a ideia de uma plataforma que unificava todas as necessidades de um sistema bancário que normalmente depende de: governos, entidades jurídicas, credibilidade das instituições envolvidas, sistemas complexos para validação, boas relações entre governos, liquidez de valores entre instituições que fazem a custódia dos valores.

Porém o Bitcoin faz tudo isso em uma única aplicação  onde ele representa: a moeda ou o ativo, o sistema de pagamento e transferência, em uma conta, Tudo isso usando o um conceito: “Trustless”, livre de confiança e sem depender de terceiros,

A sua maior força está em seu Blockchain, que nada mais é do que o livro contábil ou o banco de dados que guarda e valida todas as operações realizadas na rede e todas as carteiras de Bitcoin se sincronizam com os mesmo dados de modo aberto para que todos possam saber se a movimentação foi realizada. Isso que torna impossível você utilizar o mesmo valor duas vezes.

Todos eles, suas idéias e iniciativas tinham em comum os ideais Cypherpunk que queriam trazer a criptografia para a segurança das pessoas.

Gostou? Então acompanhe nossa programação e nosso site para mais informações e noticias!
E se você tiver alguma dúvida ou curiosidade, comente e compartilhe esse artigo! 😉


Opinião dos Leitores

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos Obrigatórios estão marcados*