Carreira, inclusão social e muitos jogos abertos ao público são destaques da programação completa do BIG Festival 2018

Escrito por em 5 de junho de 2018

Maior evento de jogos independentes da América Latina acontece em SP e no RJ com palestras e atrações para todos os gostos.

– Com programação variada e cheia de atrações, o BIG Festival, maior evento de jogos independentes da América Latina, chega em plena forma à sua sexta edição. Realizado entre 23 de junho e 1º de julho em São Paulo (Centro Cultural São Paulo) e no Rio de Janeiro (Oi Futuro), o BIG tem entrada gratuita e atividades com experts do mercado de games – além, é claro, de jogos para o público experimentar.

Mais de 190 especialistas da indústria brasileira e internacional de games estarão no BIG para participar de discussões, workshops e mesas de negócios. A programação completa já está disponível no www.bigfestival.com.br, onde o internauta pode visualizar as quase 160 sessões abertas ao público, além de efetuar o cadastro, que é gratuito, para participar do evento.

Image result for big festival 2018

Dentre os desenvolvedores e figuras do mercado de games confirmados, estão Mike Foster (Sony),  Bobby Wertheim (SEGA), Joel Breton (HTC) Lauren Freeman (Electronic Arts), Chris Remo (Campo Santo), Shinji Namekawa (Konami), David Wood (Bandai Namco), Esteban Lora (Microsoft),  Bill Le Voir-Barry (IBM), Reginaldo Valadares (Rovio), Steve Escalante (Versus Evil) e muitos outros.

Em 2017, o BIG teve mais de 20 mil visitantes, sendo 3.200 deles profissionais da área, e mais de 1.600 reuniões de negócios confirmadas. Neste ano os organizadores esperam um público ainda maior. Quando o assunto é participação dos desenvolvedores, o valor também impressiona: 646 games inscritos de 53 países (420 só de desenvolvedores brasileiros). O anúncio dos prêmios, que somam R$ 45 mil, será realizado na Cerimônia de Premiação, no dia 28 de junho, em São Paulo.

O BIG Festival 2018 é a ocasião ideal para quem quer entender e vivenciar o que rola  no universo do entretenimento eletrônico, e até para saber como fazer parte disso: o mercado de trabalho será tema de debates como, por exemplo, “Cursos de Games e Mercado de Trabalho”, ou ainda em discussões como “Meu Filho Quer Estudar Games, e Agora?”, focada em ajudar pais na escolha profissional. Ambas as palestras, e muitas outras, fazem parte do BIG Carreiras, que junta profissionais já experientes, recém-contratados e especialistas para dar dicas aos iniciantes.

Diversidade e inclusão social serão temas frequentes na vertical BIG Impact, iniciativa dedicada aos jogos com impacto positivo que transformam a sociedade. Em “Mulheres no Jogo: O que Fazer pra Aumentar a Presença Feminina na indústria de Games”, o público saberá como mulheres desenvolvedoras estão fazendo para aumentar a presença feminina no setor. Tão importante quanto, a diversidade também será retratada em palestras como “Games e Inclusão Social“, painel que irá reunir desenvolvedores que têm contribuído com a questão no setor, seja pela raça, gênero ou orientação sexual, a fim de promover a inclusão social que hoje é pauta em diversos segmentos da indústria criativa.

Para contribuir com mais conteúdo e figuras da indústria, o BIG Business Forum firmou parceria com a External Development Summit (XDS), o principal evento de desenvolvimento externo do setor, que acontece todo ano no Canadá. Um dos frutos dessa parceria são palestras exclusivas para o BIG, como a de Isabelle Bismuth, que trabalha na Ubisoft  e vem ao Brasil falar sobre a produção do jogo Assassin’s Creed: Origins.

Para os amantes do eSports, o BIG terá, pela primeira vez, sessões dedicadas ao tema. Em debates como “Não sou pro player mas quero entrar no mercado: as diferentes profissões dos eSports“, ou “Pro players: qual é a vida que levam e como chegaram até lá? Como se tornar um?“, o visitante poderá participar de conversas com presença de membros de times profissionais e também treinadores, que ajudarão quem quer se aventurar na carreira.

No Rio de Janeiro, programação será voltada aos games que fazem a diferença

O workshop “Jogos para Mudar o Mundo” abre a roda de sessões do BIG Rio, dando uma pitada de como será a abordagem do tema na edição carioca. Nesta atividade, o objetivo é sensibilizar o público na compreensão de como os games podem ser estratégias importantes para melhorar o mundo – isso por meio de incorporar conceitos básicos de game design e raciocínio lógico no desenvolvimento de jogos analógicos com temáticas sociais.

A Shell Games, maior estúdio de games na área de educação nos EUA, participa do BIG Rio com a presença de Shawn Patton, Game Designer da empresa. Shawn irá discutir ideias e desafios na criação de projetos em VR, além de compartilhar histórias sobre jogos de impacto social produzidos pelo seu estúdio desde sua fundação até as previsões para o futuro.

A linguagem de games em museus também é tema do painel “Museus Lúdicos: os desafios do processo de ressignificar o Museu das Telecomunicações“. A mesa vai abordar o processo de “ludificar” o acervo deste importante museu.

Ainda no conceito de temas voltados à cidadania, Adam van Heerden (HOL), abordará o potencial dos games em promover engajamento social, defesa de pontos de vista e o exercício da cidadania, ao levar os participantes a um diálogo uns com os outros e a fim de compartilhar preocupações sobre a violência no Rio de Janeiro.

Para mais informações das datas e horários das palestras, visite o site do BIG Festival.

 


Opinião dos Leitores

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos Obrigatórios estão marcados*


Current track
TITLE
ARTIST

Background