Current track
TITLE
ARTIST

Background

MCU Fase 2: Expandindo e aprofundando seu universo

Escrito por em 16 de maio de 2018

ATENÇÃO! ESSA MATÉRIA CONTÉM SPOILERS DOS FILMES DO MARVEL STUDIOS. CASO NÃO QUEIRA DETALHES DO ENREDO, PARE DE LER AGORA MESMO.

A segunda parte da trajetória da Marvel nos cinemas, falando agora de como lidar com o sucesso e consequências a partir de Os Vingadores.

Era chegada a hora de voltarmos para os heróis. Temos a primeira consequência de Os Vingadores apresentada, e talvez a mais conectada com o filme, no terceiro longa do primeiro herói apresentado.

Após a estrondosa batalha de Nova York, Tony Stark fica traumatizado e paranoico com outra possível invasão alienígena maior durante Homem de Ferro 3, criando muito mais armaduras e tecnologias para ajudá-lo. Entretanto, fantasmas do passado reaparecem na pele de Aldrich Killian, o grande arquiteto do enredo do longa-metragem, inclusive pela armação do falso Mandarim, polêmica controversa até hoje pelos fãs, que não deve mudar tão cedo. Ainda que controverso, o filme foi um sucesso nas bilheterias e as críticas foram levemente melhores que alguns outros filmes da franquia, muito provavelmente graças ao hype pós Os Vingadores.

Homem de Ferro 3 – MARVEL ENTERTAINMENT

Quanto ao Deus do Trovão, este volta para Asgard com Loki e o Cubo Cósmico(a revelada posteriormente Joia do Espaço), mas acaba retornando à Terra para ajudar Jane Foster, seu par romântico do primeiro filme, a controlar o Aether (revelado mais tarde como a Joia do Infinito da Realidade),  que no decorrer do longa cai nas mãos de Malekith e dos Elfos Negros, cujo objetivo era mergulhar todos os nove reinos na completa escuridão, confronto que levou à morte de Frigga (mãe de Thor) e “Loki”. Ao final do filme e de sua cena pós-créditos, Loki se revela vivo e toma o lugar de Odin no trono de Asgard, enquanto o Aether é levado para o celestial conhecido como Colecionador, movendo mais uma peça importante do próximo grande evento do estúdio, além de ser parte fundamental de um dos projetos mais arriscados: Guardiões da Galáxia.

As críticas de Thor: O Mundo Sombrio foram tão mistas quanto o primeiro filme, mas a bilheteria acabou tendo uma aumentada, garantindo o terceiro filme

Thor: O Mundo Sombrio – MARVEL ENTERTAINMENT

De volta à Terra, Steve Rogers está trabalhando para a Shield e tentando se acostumar à nova realidade, que mudou muito ao longo desses 70 anos em que esteve congelado. Mas isso não é desculpa para um alívio, pois acaba tendo de enfrentar a Hydra novamente, que se infiltrou na Shield em todos esses anos e planejava matar todos que fossem uma ameaça aos seus planos por meio do Projeto Insight. Como ajuda a essa missão, a Hydra criou o Soldado Invernal, um grande guerreiro que após cada missão era congelado até a próxima e habilidades rivalizavam com as de um super soldado, cuja identidade era Bucky Barners, o melhor amigo de Steve Rogers. Graças ao apoio dos membros “puros” da Shield, Viúva Negra e o recém-apresentado Falcão, o ataque da Hydra foi detido, mas a Shield havia caído por hora e muitos segredos que ela escondia revelados para o mundo, outro ponto chave para Capitão América: Guerra Civil. Na cena pós-créditos, é revelada uma base secreta da Hydra que usara o cetro de Loki d’Os Vingadores para experimentos de criação de metahumanos, cujos resultados positivos foram Pietro e Wanda Maximoff.

Capitão América: O Soldado Invernal foi muito bem recebido pelo público e pela crítica, e sua bilheteria foi praticamente o dobro da do primeiro filme, sem contar que na época do lançamento era a 3ª maior do estúdio

Capitão América: O Soldado Invernal – MARVEL ENTERTAINMENT

Chega então a proposta mais arriscada do Marvel Stúdios até o momento, mas essencial em seu Universo Cinematográfico: Guardiões da Galáxia. Se os personagens apresentados até agora eram classe B e C, os Guardiões da Galáxia facilmente podem ser classificados como D e E, tornando esse o projeto mais ambicioso e arriscado até agora, e muitos provavelmente consideraram um fracasso imediato. Como o mundo estava enganado e despreparado. A recepção foi extremamente positiva para os que assistiram, fazendo Guardiões da Galáxia não ser apenas mais um dos acertos da Marvel, mas sim um dos maiores acertos, tornando os personagens mais populares e queridos do que nunca, ao modo que definiram todo o estilo de mundo cósmico que esse universo cinematográfico poderia oferecer, além de tomarem o posto de terceira maior bilheteria da franquia na época e, talvez, a melhor trilha sonora.

Guardiões da Galáxia é um dos maiores exemplos do poder e capacidade que o Marvel Studios possui nas mãos, abrindo portas para mais propostas arriscadas e, digamos, “perigosas”, integrando o filme à história que estava se desenvolvendo (Gamora e Nebulosa como filhas de Thanos; Jóia do Poder como MacGuffin do filme) mas também criando sua própria identidade.

Imagem relacionada

Guardiões da Galáxia – MARVEL ENTERTAINMENT

O ano de 2014 foi um ano mais do que positivo para o Marvel Studios. As expectativas eram altas. Estava a caminho a continuação de seu maior sucesso, ou ainda, a continuação do filme que impactou positivamente tanto o cinema de adaptação de quadrinhos quanto a sétima arte no geral. A Era de Ultron estava sobre nós. Os heróis mais poderosos da Terra teriam de enfrentar uma ameaça de surgimento interno assim como suas consequências externas provenientes disso.

Ultron, vilão título do longa-metragem, é uma criação de Tony Stark com o auxílio de Bruce Banner, que através da energia do cetro do Loki (a não ainda revelada Joia da Mente), tentou dar vida à última linha de defesa da Terra, para poderem então “descansar em paz” caso surgisse algo maior que a batalha de Nova York. Mas o tiro acaba saindo pela culatra, com o robô enxergando a humanidade como o maior problema do mundo, e que para salvar a Terra, teria de extingui-la. Para completar seus objetivos, se aliou aos citados Pietro e Wanda Maximoff (Mercúrio e Feiticeira Escarlate, respectivamente), já que estes continham certa raiva do Homem de Ferro.

Imagem relacionada

Ultron – MARVEL ENTERTAINMENT

No decorrer do filme, os gêmeos trocam de lado e os Vingadores recebem um novo aliado: Visão. Sendo originalmente a próxima evolução de Ultron, Visão acabou se tornando uma versão física de JARVIS, a inteligência artificial que ajudava Tony Stark, além do portador da Joia da Mente. Em uma investida final, Ultron é detido, mas com sérias consequências: a morte de Mercúrio, a ida do Hulk ao espaço e a destruição de Sokovia, uma cidade inteira usada como meteoro nos planos da Inteligência Artificial. Ao final, Thor vai ao espaço investigar as Joias do Infinito, enquanto Capitão América e Viúva Negra lideram uma nova equipe dos Vingadores. Durante sua única cena pós-créditos, Thanos adquire sua Manopla e decide ir buscar as Joias de uma vez por todas.

Vingadores: Era de Ultron teve uma recepção polêmica, mas se olharmos no geral, podemos chamar de positiva com controvérsias, graças ao seu tom episódico e diversos elementos e certa forma jogados na trama. Em relação à sua bilheteria, essa extremamente positiva, sendo a 2ª maior desse universo ao longo de três anos, perdendo apenas para o primeiro filme da super equipe e, em breve, para também o terceiro filme.

Imagem relacionada

Vingadores: Era de Ultron – MARVEL ENTERTAINMENT

No final de sua denominada Fase 2, a Marvel lançaria um novo projeto arriscado: Homem Formiga. Além ser um personagem desconhecido, também sofria uma espécie de preconceito em sua habilidade de encolher, muito subestimada pelo público-geral.

Para completar as descrenças e suspeitas que rodeavam o filme, sua produção havia sido intensa, com o clímax acontecendo na auto-demissão do diretor Edgar Wrigth depois de estar 10 anos no projeto. Apesar de sua substituição, Peyton Reed conseguiu levar adiante sua missão, e o roteiro foi obviamente reescrito, mas aparentemente mantendo algumas ideias de Wrigth (diga-se de passagem, muitos dos elementos mais adorados do longa).

Homem Formiga – MARVEL ENTERTAINMENT

Seria novidade dizer que o filme pode ser considerado mais um acerto, agradando crítica e público? Seria mentira dizer o oposto. Com um roteiro de fácil assimilação, personagens carismáticos e fotografias nunca vistas antes nos outros filmes da Marvel, Homem Formiga conquistou seu espaço apesar de sua bilheteria mediana se comparada à dos outros filmes, recebendo rapidamente a confirmação de uma continuação e garantindo sua participação no próximo evento desse grandioso Universo Cinematográfico. A Marvel acertou novamente, e dificilmente duvidariam de seu poder daqui para frente.

E aí. O que achou dessa matéria? Logo teremos mais conteúdo sobre o universo da Marvel e dos Super Heróis. Por enquanto, deixe seus comentários! 😉


Opinião dos Leitores

Deixar uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos Obrigatórios estão marcados*